O capacete é um elemento essencial para qualquer motociclista. Não só por causa de seu uso obrigatório nas estradas brasileiras, mas por se tornar um item de segurança inseparável de nossa moto.

Há muitos que devemos levar em consideração no momento de escolher um modelo de capacete ou outro. De elementos de segurança inovadores a um design exclusivo.

Nos do site Mercado Amigos queremos oferecer-lhe algumas sugestões, para que sirva com um pequeno guia com os melhores capacetes para andar de moto.

Devemos lembrar que o capacete é o componente de segurança passiva que mais reduz a taxa de mortalidade em acidentes de motocicleta.

Estima-se que o uso de capacete diminui em 29% os danos causados em um acidente. Portanto, a segurança que este capacete nos oferece deve ser o principal aspecto de nossa escolha. Então, preste atenção ao nosso conselho e nunca se esqueça de colocá-lo.

Lista dos melhores capacetes

AGV Ti Tech Barberá

AGV Ti Tech Barberá é um dos capacetes mais seguros do mercado. É capaz de reter impactos em alta velocidade, seu interior é removível e seu alojamento é feito de fibra de vidro. É perfeitamente adaptável à cabeça e destaca-se como um dos modelos mais leves da sua gama.

Sua ultima versão teve um melhoramento no sistema de ventilação e tela anti-fog. O preço alto é um dos seus principais inconvenientes, é de cerca de 550 euros.

Airoh Sc66 Carbon

O Airoh Sc66 Carbon é considerado um dos capacetes mais populares pelos motociclistas.

Construído com fibras de carbono e kevlar, tem uma viseira interna aprovada e um sistema de ventilação de queixo ajustável.

Seu valor é tentador porque pode ser encontrado por menos de 400 euros.

Nolan N-102 Smart

O Nolan N-102 Smart, com um preço entre 250 e 300 euros, é um capacete cuja característica especial é que pode ser convertido de integral para parcial, apenas dobrando a parte que cobre o queixo.

Seu design é inovador e atraente. É um capacete de motocicleta muito confortável, embora alguns usuários se queixem de que é muito quente se usado em dias com altas temperaturas.

Seja qual for a sua escolha, lembramos que você não pode ficar sem o capacete ao dirigir sua motocicleta.

Pode haver algo mais em jogo do que uma simples multa.

Encontre os melhores capacetes do mercado pelo melhor ore~p no site https://www.marquinhomotos.com.br/capacetes.html

DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) é um seguro social administrado pela Seguradora Líder, que paga indenização a vítimas de acidentes de trânsito, independente de quem seja a culpa.

O que e DPVAT

Atuando desde 1974, o seguro DPVAT reembolsa custos hospitalares, cobre morte e invalidez permanente decorrente de acidente de carro, sendo passageiro, motorista ou pedestre. É válido destacar, entretanto, que o seguro não faz cobertura a acidentes causados por trens.

Com tantas siglas envolvendo veículos, é normal ter dúvida sobre como funciona o DPVAT. A seguir, você saberá mais informações sobre esse seguro de grande importância. Acompanhe!

Como funciona o DPVAT?

Assim como qualquer outro seguro, o DPVAT é pago anualmente pelo proprietário do veículo, e o pagamento é junto com a primeira parcela do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Ainda que seja de caráter obrigatório previsto na Lei nº 11.482/07, esse seguro não confiscará o seu veículo caso não seja pago nem implicará em multas e juros.

A obrigatoriedade do DPVAT é para garantir que as vítimas de acidentes de carro possam ter seus direitos protegidos no país. Além disso, garante que o proprietário desse carro não tenha que arcar sozinho com todas as despesas.

Vale destacar também que o pagamento do valor desse seguro é feito em parcela única, caso o seu veículo seja um carro novo ou de passeio. Os demais – motos, vans, ônibus ou micro-ônibus – podem ser parcelados em até 3 vezes.

Como acessar o seguro?

Após um acidente de trânsito, as vítimas têm 3 anos a contar da data do ocorrido para entrar em contato com um dos postos de atendimento e requerer a indenização.

Entrando em contato com a Seguradora Líder ou pelo SAC da empresa, você se informa sobre os endereços dos postos de atendimento. Depois, basta levar os documentos que comprovam o acidente.

O que cobre o seguro DPVAT?

O seguro cobre vítimas de acidentes de trânsito que levam às seguintes condições:

  • Morte;
  • Invalidez permanente;
  • Despesas médicas.

No caso de falecimento, os herdeiros da vítima serão os beneficiários da indenização.

O que não cobre o seguro DPVAT?

Algumas pessoas podem achar que por se tratar de um seguro de acidente automotor, necessariamente ele cobrirá todos os danos possíveis, mas não é bem assim. Veja o que o seguro NÃO cobre:

  • Danos materiais (roubo do carro, incêndio ou colisão);
  • Multas ou tributos do condutor ou proprietário do veículo acidentado;
  • Acidentes pessoais causados por radiações de combustíveis nucleares;
  • Acidentes causados por trem.

Portanto, o seguro DPVAT é uma forma de indenizar as vítimas envolvendo veículos terrestres com motor próprio, sem que precise da ajuda dos trilhos (o que justifica o trem não se enquadrar na lista).

Um seguro que não acarreta juros nem multas, mas é de extrema importância para que você não precise arcar com todas as despesas integralmente, caso se envolva em um acidente de trânsito.

Agora que você sabe o que é e como funciona o DPVAT, não terá mais justificativas para atrasar o pagamento. Afinal, nunca se sabe o dia de amanhã, não é mesmo?

Quem possui um veículo sabe que os gastos com o mesmo vão muito além de combustível e manutenção, sabemos que todos os anos devemos pagar obrigatoriamente o IPVA do veículo.

O IPVA faz parte das contas de início de ano, deste modo para evitar problemas com o pagamento do mesmo se preparando com antecedência.

consulta ipva debitos no meu ipva

Porém, o pagamento do IPVA pode ser prolongado até o meio do ano, perdendo haver encargos, mas sendo uma ótima opção para você que está apertado financeiramente no começo do ano.

Mas cuidado para não acabar esquecendo e deixar a dívida se prolongar, assim preparamos este texto para você saber e entender como realizar a consulta IPVA e evitar problemas futuros com este.

 

O QUE É O IPVA?

 

Antes de mais nada é preciso entender o que é o IPVA e a importância de pagar o mesmo, uma vez que a inadimplência em relação ao pagamento pode resultar até na apreensão do veículo.

O IPVA é a sigla para o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, que é um imposto onde todas as pessoas portadoras de um veículo automotor independe do seu tipo devem pagar.

Seja moto, caminhão ou carro todos estão incluídos no pagamento anual deste imposto, onde o valor pago é estabelecido com base em uma porcentagem do valor do veículo.

Dos valores arrecadados com o IPVA, 50% é destinado ao governo estadual e a outra metade para o município que o veículo foi emplacado.

Ele é cobrado todos os anos juntamente com o seguro obrigatório e o não pagamento do mesmo impossibilita a realização do licenciamento.

Por este motivo saiba, que atrasar o seu IPVA ou até mesmo deixar de pagar pode deixar o seu veículo em condições irregulares de circulação.

 

VALORES DIFERENTES EM CADA ESTADO

 

É importante ressaltar antes de entrarmos na consulta IPVA, que o mesmo possui valores diferentes dependendo do estado onde o veículo foi emplacado.

O estado de São Paulo, por exemplo, é o estado com a maior porcentual a ser paga sobre o veículo, cerca de 4% sobre o valor total do mesmo, em outros estados esse valor pode variar entre 1% a 3%.

 

COMO REALIZAR A CONSULTA IPVA

 

Como já citamos o IPVA faz parte das contas de início de ano, e deste modo, você pode pagá-lo neste período ou prolongar o pagamento até o meio do ano.

Mas saiba que no começo do ano há descontos e outras opções de parcelamento, para esse imposto alguns estados chegam a dar até 15% de desconto para quem paga antes do prazo.

Também é importante saber até quando você pode prolongar o seu pagamento, uma vez que as datas variam de acordo com o final da placa.

Em relação aos conhecimentos do seu débito, caso o veículo esteja em seu nome, você recebera uma carta em casa informando os valores, condições de pagamentos e agências credenciados para o recebimento.

Porém, caso você queira realizar a consulta IPVA de forma independente, basta acessar o site da secretaria da fazenda do seu município para ter acesso aos valores.

No momento da consulta tenha em mão os Renavam do veicula e a placa do mesmo, bastando informar essas informações para ter acesso a débitos com o IPVA, mas como também a multas de trânsito e a Taxa de licenciamento DPVAT.

É importante saber que no estado de São Paulo, caso o IPVA esteja em atraso não será possível parcelar o mesmo, apenas contestar os valores da multa.

Sendo por este e outros motivos que você deve sempre realizar a consulta IPVA e saber se há débitos com o mesmo ou não.

 

PAGANDO O IPVA

 

Para pagar o seu IPVA, basta acessar utilizando a carta que você recebeu do seu estado via correio ou caso você a tenha perdido emitir uma guia de pagamento.

A guia de pagamento pode ser retirada no mesmo portal de consulta IPVA, logo abaixo onde você consultou os débitos.

Porém, para a emissão da guia será necessário informar qual a finalidade do pagamento e o tipo do veículo.

O pagamento pode ser feito em agências bancárias autorizadas além de casas lotéricas, e todas estas informações encontram – se na sua guia.

Manter o seu IPVA em dia é de extrema importância, uma vez que a inadimplência com o mesmo impossibilita o licenciamento do seu veículo tornando-o irregular.

Então consulte seus débitos e busque realizar o pagamento nos prazos estipulados para que consiga um bom desconto sobre o valor total.

Para você que está interessado em vender o seu veículo, ou até mesmo em fazer algum tipo de negociação relacionada a ele, é muito importante que você tenha conhecimento da tabela FIPE, de como ela funciona, para que você possa dizer se de fato aquela negociação envolvendo o seu veículo, foi uma negociação boa para você ou não.

Essa tabela está totalmente ligada ao mercado automobilístico, portanto, você que é proprietário de um veículo, você precisa saber quanto está valendo o seu carro na praça para ver se de fato ainda tem algum poder de negociação com ele.

Neste artigo, eu vou falar um pouco sobre como funciona a tabela FIPE. Passarei informações na intenção de ajudar você que não conhece muito bem como funciona esse ramo, e no caso, o material será focado em carros. Portanto, nesse artigo, falaremos da tabela FIPE para carros apenas.

tabela fipe carros valor

O que é a tabela FIPE?

A tabela FIPE é um recurso muito utilizado para saber como anda o valor de revenda do seu veículo, ou seja, se você está interessado em vender o seu carro, ou fazer qualquer tipo de negociação com ele, é muito importante estar por dentro da tabela FIPE para ter a certeza de que realizou um bom negócio.

A tabela FIPE é um local aonde você irá encontrar com é o valor atual de revenda que os eu carro tem hoje. Lembrando que, esse valor é alterado mensalmente, portanto, é importante estar por dentro das novas postagens da tabela FIPE, e claro, o valor vai variar de estado para estado, portanto, você precisa saber o estado que o seu carro foi registrado e como anda a cotação da tabela no estado que você está pretendendo vender.

Um pequeno estudo já será o suficiente para que você consiga entender muito bem como funciona de fato a tabela e como você deve utilizá-la para ter o melhor valor de revenda do seu veículo, ou para conseguir a melhor negociação com a sua asseguradora.

Como as asseguradoras utilizam a tabela FIPE carros?

Agora, nós vamos conversar um pouco sobre como as asseguradoras utilizam a tabela FIPE para poder conversar sobre a franquia do seu carro. É muito importante que você saiba como funciona para procurar sempre o melhor negócio para o seu veículo.

As asseguradoras normalmente utilizam a tabela FIPE no momento da indenização, dessa forma, o serviço saí justo para os dois lados. Por exemplo, vamos dizer que você a um ano atrás comprou um carro de modelo x, e que na época você pagou nele um valor correspondente a R$ 30 mil reais. Caso um ano depois você sofra a infelicidade de ser roubado, a asseguradora vai lhe fornecer a franquia do seu seguro levando em consideração a tabela FIPE que estava vigente no dia do sinistro, e não quando você contratou o serviço a um ano atrás.

Ou seja, se o seu carro valia 30 mil quando você comprou, e hoje no momento no sinistro ele vale 28 mil, a asseguradora irá trabalhar em cima dos 28 mil reais que o seu carro vale hoje.

Durante a contratação do seguro, algumas asseguradoras inclusive lhe fornecem a opção de contratar o valor correspondente da franquia que você quer ser assegurado caso algo de errado aconteça com o seu veículo levando em consideração a tabela FIPE.

Ou seja, basicamente, você iria escolher se quer receber uma cobertura de 110% da tabela FIPE caso o seu carro seja roubado, o que é interessante por que vai lhe garantir um valor a mais. Ou se você quer ficar com a cobertura de 90% por exemplo.

Logicamente, quanto maior a cobertura na hora do sinistro, mais caro será o seu seguro, portanto, é importante avaliar muito bem para que você não tenha problemas no futuro caso aconteça alguma coisa com o seu carro.

A tabela FIPE para carros é uma ferramenta muito importante e é constantemente usada, até mesmo para saber quanto será o valor do IPVA do seu carro no final do ano por exemplo.

Esteja sempre por dentro de como anda a tabela para que você não tenha surpresas no futuro. Caso lhe apareça alguma oportunidade boa de revenda, você precisa saber qual é o valor do seu veículo atualmente.

Procurando uma seguradora para fazer o seguro automotivo do seu veículo? Então saiba que, além de outras regras, o segurado precisa apresentar diversos tipos de documento.

Para facilitar a sua vida, confira antes os documentos necessários para o seguro automotivo. Assim, você já prepara a documentação antes de fechar o contrato.

Quais são os documentos necessários para o seguro auto

Documentos para fazer seguro automotivo

Para fazer o seguro automotivo do seu auto, a seguradora exigirá que você apresente os seguintes documentos:

  • Documentos pessoais

 

  1. RG
  2. CPF
  3. Comprovante de residência
  4. CNH (Carteira Nacional de Habilitação)

 

Obs: os documentos apresentados devem ser originais e estarem em bom estado. Em relação ao comprovante de residência, vale uma conta de consumo com data de vencimento de, no máximo, 2 meses.

  • Documentos do veículo
  1. Certificado de Registro e Licenciamento do veículo (CRLV)
  2. Certificado de Registro do Veículo (CRV)

 

Importante: caso o auto a ser segurado pelo seguro automotivo foi adquirido recentemente e é novo, será necessário que você providencia também a nota fiscal de compra.

Nesta documentação devem constar a data da aquisição do veículo, data que o carro saiu da loja/concessionária e a assinatura do responsável pela venda ou do estabelecimento que vendeu o auto.

 

Cópias autenticas dos documentos para o seguro automotivo

Outro detalhe é que, a maioria das seguradoras, costuma pedir, uma cópia autenticada dos documentos – além da apresentação dos originais. As cópias autenticadas devem ser providenciadas em um Cartório de Registro.

 

Atenção na hora de contratar o seu seguro automotivo

Além dos documentos a serem providenciados para fazer o seu seguro automotivo, você deve ter em mente alguns cuidados antes de optar por um contrato. Confira as nossas dicas para você fazer um bom negócio:

 

  • Atente-se sempre a todas as cláusulas do contrato do seguro automotivo. Os contratos são extensos, mas não tenha preguiça, leia-o do começo ao fim – para não ter dúvidas ou transtornos posteriores.

É essencial (e lei) que todas as coberturas e serviços oferecidos pela seguradora estejam descritas no contrato de forma clara. Caso você não entenda alguma informação, não excite em esclarecê-la com a empresa.

 

  • Muitas normas são obrigatórias de constar no contrato e ser garantida pela seguradora. Informe-se sobre elas e confira se constam em contrato. Caso contrário, questione a seguradora, antes de fechar o negócio.

 

  • É importante se lembrar de mencionar as pessoas que também conduziram o veículo, para que a cobertura se estenda a eles. Caso contrário, isso pode gerar problemas futuros, principalmente, em casos de sinistros.

 

  • Antes de assinar o contrato, se prepare, veja as principais regras que regem esse tipo de transação na página da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados). No site da entidade, há uma relação das principais dúvidas em relação ao seguro automotivo.

 

Como escolher a melhor seguradora para fazer o seguro automotivo

Para lhe ajudar ainda mais, estamos trazendo algumas dicas importantes, que permitirão que você opte pela melhor oferta de seguro automotivo. Isso garantirá a sua satisfação, a segurança do seu auto e a sua tranquilidade! Confira, a seguir:

  • Coberturas oferecidas: até mais importante que o preço das mensalidades do seu seguro automotivo, as coberturas oferecidas devem atender às suas necessidades.

Procure contratos que ofereçam exatamente o que você precisa para garantir a segurança do seu bem e a sua tranquilidade. Por exemplo: se o plano oferece serviço de guincho em caso de acidentes ou problemas no carro (se não, você fica no meio do trânsito com o veículo parado – podendo até incidir em multa); se há reposição de veículo,  caso o seu auto seja roubado (para você não ficar à pé até receber a indenização); entre outros detalhes importantes.

 

  • Coberturas adicionais: não é permitido a chamada “venda casada”. Ou seja, a seguradora não pode condicionar a contratação de um serviço adicional apenas se você contratar outro.

A seguradora também não pode incluir serviços adicionais com ônus para o cliente, sem pedir a autorização do mesmo.

 

  • Reputação da empresa: procure sempre fazer o seu seguro automotivo com empresas com boa reputação no mercado e reconhecidas. Isso pode evitar eventuais problemas e transtornos futuros para você.

 

  • Conte com o auxílio de um corretor: faça a escolha do seu seguro automotivo com a ajuda de um corretor especializado. Geralmente, não é preciso pagar pelos serviços prestados por esse profissional – ele costuma receber comissão diretamente da própria seguradora.

Esses profissionais sabem praticamente tudo sobre seguro automotivo e podem lhe ajudar na hora de escolher a melhor opção para a segurança do seu auto!

A popularidade dos rastreadores veiculares cresce à medida que o trânsito em nosso país se torna cada vez mais violento. Com o grande número de assaltos ocorridos nas grandes cidades, os motoristas procuram formas de proteger seus veículos, independente de qual seja. Essa realidade começa a chegar até as pequenas cidades, por isso tantas marcas de rastreadores oferecem cobertura para grande parte do território nacional.

Seja qual for o seu veículo, a sensação de perdê-lo é horrível. Por isso os rastreadores têm sido tão procurados pelos motoristas, pois mesmo que você seja vítima de um assalto, é possível recuperar seu veículo com a ajuda do rastreador, que pode fornecer a sua localização exata. Seja carro, moto ou caminhão, essa peça é recomendada para todos os motoristas.

 

Vantagens de utilizar rastreador veicular em carros

Não é preciso explicar o quanto é importante instalar um rastreador veicular no seu carro. O trânsito brasileiro é dominado por carros, por isso o fluxo de roubos a esse veículo é tão grande. Sejam em estradas, grandes cidades, pequenos municípios do interior, ninguém está a salvo de uma situação desagradável como um assalto.

Pelo grande fluxo de carros no trânsito brasileiro, o número de assaltos é tão grande. Nos carros o perigo é ainda maior, pois em muitas abordagens a vítima ainda está no veículo e sofre uma ação violenta de ameaças com armas por parte do assaltante, nessa hora o rastreador te ajuda a manter a calma, pois você sabe que seu automóvel pode ser recuperado.

 

Vantagens de utilizar rastreador veicular em motos

 

As motos também estão presentes em grande número no trânsito das grandes cidades, os motoristas a procuram na intenção de economizar combustível e pela praticidade de chegar mais rápido aos destinos, por esses mesmos motivos é que se tornou tão comum vermos tantos assaltos a motos.

Os assaltantes costumam focar em motos justamente por ser uma ação que não chama tanta atenção das pessoas próximas, podendo ser executado o roubo até mesmo com muitas testemunhas próximas. Os criminosos também buscam as motos pois elas no futuro também podem auxiliá-los na execução de outros crimes.

Muitas motos são roubadas por pessoas em ruas mais vazias, ou locais poucos frequentados, sem ninguém por perto, nessa hora o rastreador veicular pode garantir que sua moto seja recuperada, pois ele fornece a localização exata do veículo e junto com a polícia ele pode ser encontrado.

Vantagens de utilizar rastreador veicular em caminhões

 

Para os caminhões, a grande vantagem está em garantir a segurança dos motoristas e das cargas transportadas. Todos nós sabemos que existem muitos roubos de carga nas estradas brasileiras, quando alguns motoristas são encurralados e obrigados a ceder o caminhão e consequentemente o que estava sendo transportado.

Nesses casos, é possível utilizar o rastreador veicular para encontrar o local onde os assaltantes levaram o veículo e tentar recuperar a carga. Muitos motoristas precisam andar por caminhos quase desertos e nessa hora os criminosos podem agir, por isso o rastreador veicular é fundamental.

Qualquer veículo pode usar rastreador